Quem sou?

Rui Pina



há quem diga que sou único... há quem acrescente "ainda bem", acima de tudo sou eu, não fui feito para gostar de ti nem para que gostes de mim!



Em contexto de trabalho uma senhora já com bastante idade chamou-me Doutor, Engenheiro, e repetidamente indiquei para me tratar só por Rui, ao que a senhora me responde:

"Ninguém dá importância ao que diz uma pessoa que é apenas uma pessoa, por isso no mínimo tenho de o tratar por Senhor"

Sou eu, uma pessoa... por muito deselegante que isso possa parecer é uma grande verdade! Sou senhor da minha vontade.

Tenho cerca de alguns anos, tendo em conta que nasci no final de 1980. Já fui Ripé, _drix_, Língua, Camandro, e há quem diga que até Ginja...

Lutei desde cedo contra as invasões saxónicas nos campos de batalha da Urgeiriça, juntamente com outros bravos guerreiros transformávamos os campos pintados de pedras amarelas (Urânio... o que pode por si só explicar muita coisa...) em campos de batalha onde combatíamos e procurávamos vestígios deixados pelo colonos ingleses

Fui para Faro para fugir à guerra civil de 1997 onde me juntei a uma tribo que procurava mudar o Mundo através do estudo de modificações genéticas (Eng. Biotecnológica). Em 2003 fui ferido em combate e tive de procurar abrigo junto de uma curandeira espanhola, uma pequena feiticeira que em menos de um ano me submeteu a difíceis testes e provas mas que me tornaram mais forte e saudável (há quem resuma isto com a palavra "cancro" mas não tem tanto impacto...).

Em 2005 fui requisitado para os serviços de Sua Majestade (MSc Medical Diagnostics), a minha função era fazer qualquer coisa sobre o assunto, assim, em conjunto com mais dois portugueses, um inglês, uma escocesa e uma austríaca, conseguimos pôr à prova a célebre paciência inglesa, a missão foi um sucesso e fui recambiado para o norte de Marrocos para estudar algo que faz vomitar a maior parte de vós (Helicobacter pylori). Em 2007 voltei à cidade que assistiu ao meu nascimento (Coimbra) para sediar um centro de comando que controlava a temperatura corporal das pessoas de norte a sul de Portugal através da ingestão de produtos árcticos (Qualidade Alimentar - Ice'it), missão que cumpri com sucesso até 2010.

A guerra esfriava e já poucos resistentes tentavam rumar para a frente, no entanto em Dezembro de 2010 juntei-me a um grupo de bravos guerreiros que começou a invadir as noites da zona centro provocando o pânico e as mais incríveis reacções que andavam entre a histeria e a pura indiferença, aos bravos deram o nome de "Paracetamole" havendo ainda hoje quem a eles se refira como "os comprimidos".

No final de 2016 a banda Paracetamole acaba depois de 6 anos de estrada muito preenchidos, o que significa que agora tenho mais tempo para fazer absolutamente coisa nenhuma de interesse... daí estarmos neste ponto... C O N T I N U A ...